Pular para o conteúdo principal

Sobre o apoio da Globo às manifestações

Por Osvaldo Ferreira
A Globo hoje, desde à tarde apoiando as movimentações nas cidades brasileiras.
Alguém já viu a Globo gostando de povo nas ruas? A Globo apoiou e se tornou o que é hoje por conta de sua parceria com os gorilas que mataram, torturaram e estupraram milhares no Brasil!
No Jornal da Globo, canal pago, voltado para a classe média e alta (para quem pode pagar esses serviços), Paulista como pano de fundo, torre da FIESP iluminando a bandeira do Brasil e os “especialistas” num discurso uníssono de que o governo federal é corrupto, que perdeu o controle e repercutindo as análises internacionais.
Antes, na mesma Globo News, apenas um jornalista se insurgiu contra o incêndio de um carro de geração de imagens da Record, que os vândalos puseram fogo ao lado da prefeitura.
Antes, na mesma Globo News, imagens mostrando fascistas depredando o prédio da Prefeitura de São Paulo e perguntando, onde está o Haddad. Nada de polícia de São Paulo para reprimir os vândalos.
Depois, noticiário econômico criando o pânico, e continuam.
Os urubus se aproveitando de um movimento legítimo e de massas para seus propósitos políticos....eleger o playboy das Minas Gerais. Ninguém chama a oposição para falar sobre os protestos. Ficam felizes com a ocupação do Congresso. Corrupção é o mote da Globo.
A Globo se apropriou totalmente de um movimento digno, político, juvenil e maravilhoso para seus objetivos que são os piores. A Globo é um monopólio midiático que apoiou e elegeu Collor. A Globo abomina os pobres e sua luta por melhores condições de vida. A Globo manipula a tudo e a todos. A Globo sabota governos. A Globo é contra a democratização da mídia.
Quem criou o movimento que dê a resposta à Globo.
Ou quem é jovem que se conscientize e saiba que o jogo político no Brasil com este monopólio midiático, é pesado...
Inventam crises. Querem comparar o Brasil com a situação na Europa. O Desemprego no Brasil é de menos de 6% na Europa passa dos 11%. A Globo News agora pede que os seus telespectadores mandem vídeos dos protestos....A Globo agora adora protestos! Que lindo...
Pois bem, quem for jovem e juvenil em suas utopias, que se manifeste.
Ou estarão participando de uma das maiores fraudes políticas do país cujo objetivo é imobilizar e derrubar um governo legitimamente eleito, progressista, cheio de problemas, mas que representa progresso, apesar de suas contradições.
Depois não adiantará reclamar. Na Espanha aconteceu o mesmo. Depois dos protestos veio um governo ultra liberal que hoje é responsável por um desemprego de 26% e de 50% entre os jovens. Na Espanha havia repúdio aos partidos políticos. Nenhuma bandeira aos políticos, como agora. Quem ganhou a parada foi a direita e os neoliberais radicais...
Será que queremos isso pro Brasil?
Embarcaremos no engodo da Rede Globo?
Um movimento social autêntico e maravilhoso será manipulado desta forma?
Nossos jovens serão levados sorrateiramente a enterrar as esperanças de um país inteiro?
É isso?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

25 anos sem Chico Mendes

Por Felipe Milanez Morto em 22 de dezembro de 1988, Chico Mendes deixou um legado de intensa disputa política e é fonte de inspiração para movimentos sociais pelo mundo Chico Mendes queria viver para salvar a Amazônia Foto de Chico Mendes em sua casa, poucos meses antes de morrer. Na sua última entrevista, concedida a Edilson Martins, ele dizia que queria viver para salvar a Amazônia, pois sabia que a impunidade era o lugar comum das mortes na região Na noite de 22 de dezembro de 1988, uma semana após completar 44 anos de idade, Chico Mendes foi alvejado por um tiro de escopeta no peito, na porta de sua casa, em Xapuri, Acre, enquanto saía para tomar banho (o banheiro era externo). No interior da casa, os dois guarda costas responsáveis por cuidar da sua segurança, da polícia militar, jogavam dominó e fugiram correndo ao escutar o disparo. A tocaia foi armada pelo fazendeiro Darly Alves e executada por seu filho, Darcy, junto de um outro pistoleiro. A versão que se tornou oficial da morte…

Black blocs, lições do passado, desafios do futuro

Por Bruno Fiuza*
Especial para o Viomundo Uma das grandes novidades que as manifestações de junho de 2013 introduziram no panorama político brasileiro foi a dimensão e a popularidade que a tática black bloc ganhou no país. Repito: dimensão e popularidade – pois, ao contrário do que muita gente pensa, esta não foi a primeira vez que grupos se organizaram desta forma no Brasil, e muito menos no mundo. Aliás, uma das questões que mais saltam aos olhos no debate sobre os black blocs no Brasil é a impressionante falta de disposição dos críticos em se informar sobre essa tática militante que existe há mais de 30 anos. É claro que ninguém que conhecia a história da tática black bloc quando ela começou a ganhar popularidade no Brasil esperava que os setores dominantes da sociedade nacional tivessem algum conhecimento sobre o assunto. Surgida no seio de uma vertente alternativa da esquerda europeia no início da década de 1980, a tática black bloc permaneceu muito pouco conhecida fora do Velho Contin…

Ações do papa Francisco são herança de experiência jesuítica na América

Por Umberto Eco
O papa Francisco é um jesuíta que assumiu um nome franciscano e é a favor de se hospedar em hotéis simples, em vez de acomodações mais luxuosas. Tudo o que resta para ele é vestir um par de sandálias e um hábito de monge, expulsar do templo os cardeais que andam de Mercedes e voltar à ilha siciliana de Lampedusa para defender os direitos dos imigrantes africanos detidos lá. Às vezes, parece que Francisco é a única pessoa restante que diz e faz "coisas de esquerda". Mas ele também é criticado por não ser esquerdista o suficiente: por não se manifestar publicamente contra a junta militar na Argentina nos anos 70; não apoiar a teologia da libertação, que visa ajudar os pobres e oprimidos; e não fazer pronunciamentos definitivos sobre o aborto ou pesquisa de célula-tronco. Logo, qual é exatamente a posição do papa Francisco? Primeiro, eu acho errado considerá-lo um jesuíta argentino; talvez seria melhor pensarmos nele mais com um jesuíta paraguaio. Afinal, parece qu…