Pular para o conteúdo principal

Tomate atinge Ana Maria Braga

Por Altamiro Borges
Na véspera da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, na semana passada, a apresentadora Ana Maria Braga apareceu no seu programa matinal na TV Globo usando um risível colar de tomates. Disse que o produto valia "uma joia"e, desta forma grotesca, reforçou o coro dos banqueiros e da mídia rentista pela elevação da taxa básica de juros. Diante da violenta pressão, o BC cedeu novamente aos donos do dinheiro e subiu em 0,25 pontos os juros, o que terá impacto negativo no ritmo de crescimento da economia e na geração de emprego e renda para milhões de brasileiros.
A apresentadora global - que o irreverente jornalista José Simão já apelidou acidamente de "Ana Ameba Brega" - não vestiu o colar de tomates por pura brincadeira. Ela é conhecida por suas posições direitistas e pelo servilismo diante dos filhos de Roberto Marinho. Ela foi uma das protagonistas - junto com Regina Duarte, Ivete Sangalo e Hebe Camargo - do movimento "Cansei", uma articulação da direita udenistas que visava desgastar o governo dos ex-presidente Lula. Na época, os "cansados"das elites não alcançaram seu objetivo e Lula foi reeleito. Novamente agora, Ana Maria Braga leva uma tomatada!
Na mesma semana em que fez sua gracinha provocadora, o preço do tomate - o novo perigo vermelho que ameaçava destruir a economia nativa, segundo a onda terrorista dos agiotas e da mídia rentista - despencou nas feiras e mercados. Segundo matéria do Estadão, outro veículo que participou da ofensiva dos rentistas, o quilo da produto caiu de aproximadamente R$ 10 para R$ 2,50. "Apontado como o vilão da inflação, o preço do tomate começou a perder força e agora virou alvo de guerra de promoções entre supermercados", relatou a Agência Estado na quinta-feira (18). Da próxima vez que for brincar com coisa séria, a direitista e exibicionista Ana Maria Brega deveria pendurar uma melancia no pescoço!

Comentários

  1. Comentários de Hélvio Rech
    Será que alguém ainda tem dúvidas de que a farra do tomate não foi uma jogada de grande mídia para provocar a elevação da taxa Selic que tanto agradou os banqueiros e rentistas do Brasil e fora dele. A manipulação da mídia é ostensiva: a algumas semanas o Frigorífico JBS veiculou comerciais na Rede Globo. Na mesma semana, o Fantástico iniciou uma série de entrevistas sobre o sistema de abate de bovinos no Brasil, sobretudo aqueles clandestinos, a bem da saúde pública, é verdade. No período o Jornal Nacional tratou do mesmo assunto. No entanto não foi um ato de altruísmo, mas sim um serviço casado com o anunciante. Negócio puro!
    A lógica é simples, de um lado a Globo escancara a situação dos abatedouros e frigoríficos desse país, levando pânico à população. De outro, como desavisado, sem saber de nada, por "pura coincidência" o Frigorífico faz seu comercial em horário nobre, com a participação de atores globais, destacando justamento o oposto das falhas "apuradas" nas reportagens especiais.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

25 anos sem Chico Mendes

Por Felipe Milanez Morto em 22 de dezembro de 1988, Chico Mendes deixou um legado de intensa disputa política e é fonte de inspiração para movimentos sociais pelo mundo Chico Mendes queria viver para salvar a Amazônia Foto de Chico Mendes em sua casa, poucos meses antes de morrer. Na sua última entrevista, concedida a Edilson Martins, ele dizia que queria viver para salvar a Amazônia, pois sabia que a impunidade era o lugar comum das mortes na região Na noite de 22 de dezembro de 1988, uma semana após completar 44 anos de idade, Chico Mendes foi alvejado por um tiro de escopeta no peito, na porta de sua casa, em Xapuri, Acre, enquanto saía para tomar banho (o banheiro era externo). No interior da casa, os dois guarda costas responsáveis por cuidar da sua segurança, da polícia militar, jogavam dominó e fugiram correndo ao escutar o disparo. A tocaia foi armada pelo fazendeiro Darly Alves e executada por seu filho, Darcy, junto de um outro pistoleiro. A versão que se tornou oficial da morte…

Noam Chomsky: “As pessoas já não acreditam nos fatos”

Prestes a fazer 90 anos, acaba de abandonar o MIT. Ali revolucionou a linguística moderna e se transformou na consciência crítica dos EUA. Visitamos o grande intelectual em seu novo destino, no Arizona Por JAN MARTÍNEZ AHRENS Noam Chomsky (Filadélfia, 1928) superou faz tempo as barreiras da  vaidade. Não fala de sua vida privada, não usa celular e em um tempo onde abunda o líquido e até o gasoso, ele representa o sólido. Foi detido por opor-se à Guerra do Vietnã, figurou na lista negra de Richard Nixon, apoiou a publicação dos Papéis do Pentágono e denunciou a guerra suja de Ronald Reagan. Ao longo de 60 anos, não há luta que ele não tenha travado. Defende tanto a causa curda como o combate à mudança climática. Tanto aparece em uma manifestação do Occupy Movement como apoia os imigrantes sem documentos. Preparado para o ataque.Mergulhado na agitação permanente, o jovem que nos anos cinquenta deslumbrou o mundo com a gramática gerativa e seus universais, longe de descansar sobre as glóri…

Britânicos querem reestatizar empresas

Jornal GGN - Mais de 70% são favoráveis a nacionalização de água, eletricidade e ferrovias; centro de pesquisa desenvolve estudos para reestatização a custo zero. 

O Reino Unido foi considerado a Meca das privatizações nos anos 80, mas em 2018, os britânicos querem de volta o controle estatal de serviços essenciais. Segundo levantamento feito no Reino Unido, 83% são a favor da nacionalização do serviços de abastecimento e tratamento de água; 77% de eletricidade e gás e 76% a favor da nacionalização das linhas de transporte ferroviário. O "Estado mínimo" se mostrou uma bomba-relógio social. A reestatização de todas essas empresas, incluindo a Thames Water, responsável pelo abastecimento na Grande Londres, custaria ao governo do Reino Unido algo em torno de 170 bilhões de libras. Mas um trabalho desenvolvido pela Big Innovation Centre cria um modelo de contrato onde a Grã-Bretanha conseguiria retomar o controle das empresas sem gastar um centavo. Isso seria possível com uma no…