Pular para o conteúdo principal

Centro de mídia alternativa promove curso de comunicação

Do sítio do Centro de Estudos Barão de Itararé
De 8 a 12 de maio, o Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé realiza o 1º Curso Nacional de Comunicação. O objetivo de curso é promover debates e oficinas práticas que contribuam para a capacitação de jornalistas, blogueiros, ativistas digitais e comunicadores sociais, no sentido de fortalecer a mídia comunitária, sindical e alternativa.
O curso acontecerá em São Paulo, no Leques Brasil Hotel (Rua São Joaquim, 216, Metrô São Joaquim, São Paulo). As vagas são limitadas (120) e para participar os interessados (entidades e/ou indivíduos) devem fazer sua inscrição através do formulário digital ou enviando um e-mail para contato@baraodeitarare.org.br.
As inscrições se encerram em 30 de abril. Há duas taxas diferenciadas de inscrição: para os participantes que não precisam de hospedagem (neste caso o valor é de R$ 300,00 e inclui refeição e logística), e para os participantes que precisam de hospedagem (neste caso o valor é de R$ 800,00 para hospedagem em quarto duplo; quatro diárias no hotel).
A realização do 1º Curso Nacional de Comunicação do Barão de Itararé conta com o apoio de várias entidades e organizações. Veja lista completa dos apoiadores ao final.
Para maiores informações ou esclarecimento de dúvidas, entrar em contato pelo telefone (11) 3159-1585.
Veja abaixo a programação
08 DE MAIO, QUARTA-FEIRA
18 horas – Abertura: objetivos e dinâmica do evento
19 horas: debate: A arte da comunicação
·    Paulo Henrique Amorim – blog Conversa Afiada;
·    Maria Inês Nassif - jornalista;
·    Leandro Fortes – revista Carta Capital;

   
09 DE MAIO, QUINTA-FEIRA: BLOCO I - “A FORÇA DA INTERNET”
9 horas – O papel da blogosfera
·    Rodrigo Vianna (blog Escrevinhador);
11 horas – TVWEB e a sedução do vídeo
·    Luiz Carlos Azenha (blog Viomundo);
15 horas – Como montar a radioWEB
·    Oswaldo Colibri (Rádio Brasil Atual) e Vivian Fernandes (Rádio Agência NP);
17 horas – Os segredos das redes sociais
·    Conceição Oliveira (blog Maria Frô);

10 DE MAIO, SEXTA-FEIRA: BLOCO II – “RÁDIO E TV COMUNITÁRIAS E PÚBLICAS”
9 horas – Como organizar uma rádio comunitária (aspectos legais e práticos)
·    José Soter (coordenador da Associação Brasileira de Rádios Comunitárias - Abraço)
·    José Eduardo Souza (Rádio Cantareira);
11 horas – Como fortalecer as TVs comunitárias
·    Paulo Miranda (presidente da Associação Brasileira de Canais Comunitários - Abcom) [*]
·    Pedro Pozenato (TV comunitária de Caxias do Sul);
15 horas – O papel da TV Pública
·    Nelson Breve (presidente da Empresa Brasil de Comunicação) [*]
·    Laurindo Lalo Leal (jornalista);
17 horas – Experiências das tevês não comerciais
·    Valter Sanchez (presidente da TV dos Trabalhadores)
·    Beto Almeida (conselho da Telesur);
20 horas – Festa de três anos de aniversário do Centro de Estudos Barão de Itararé.

11 DE MAIO, SÁBADO: BLOCO III – “OUTRAS MÍDIAS”
9 horas – Planejamento do trabalho de comunicação
·    Clomar Porto (assessor do Sindicato dos Metalúrgicos de Caxias do Sul);
11 horas – Instrumentos e linguagens
·    Vito Giannotti (Núcleo Piratininga de Comunicação)
·    João Franzin (Agência Sindical);
15 horas – Trabalho em grupos – Troca de experiências e desafios
17 horas – A luta pela democratização da comunicação
·    Rosane Bertotti – coordenadora do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC);
·    Luiza Erundina - coordenadora da Frente Parlamentar pela Liberdade de Expressão (Frentecom) [*]
·    Altamiro Borges – coordenador do Centro de Estudos da Mídia Barão de Itararé.

12 DE MAIO, DOMINGO
9 horas – Exposição do vídeo sobre a luta contra o trabalho escravo no McDonald’s.
10 horas – Plenária final – avaliação e próximos passos
[*] A confirmar.

APOIADORES
·       Central Única dos Trabalhadores (CUT);
·       Força Sindical;
·       Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB);
·       União Geral dos Trabalhadores (UGT);
·       Federação Única dos Petroleiros (FUP);
·       Confederação Nacional dos Trabalhadores Liberais Universitários (CNTU);
·       Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE);
·       Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino (Contee);
·       Federação dos Comerciários do Estado de São Paulo (Fecomerciários);
·       Sindicato dos Trabalhadores em Água, Esgoto e Meio Ambiente de São Paulo (Sintaema);
·       Fundação Perseu Abramo;
·       Fundação Maurício Grabois;
·       Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST);
·       União Nacional dos Estudantes (UNE);
·       Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap);
·       TV dos Trabalhadores (TVT);
·       Agência Sindical;

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

25 anos sem Chico Mendes

Por Felipe Milanez Morto em 22 de dezembro de 1988, Chico Mendes deixou um legado de intensa disputa política e é fonte de inspiração para movimentos sociais pelo mundo Chico Mendes queria viver para salvar a Amazônia Foto de Chico Mendes em sua casa, poucos meses antes de morrer. Na sua última entrevista, concedida a Edilson Martins, ele dizia que queria viver para salvar a Amazônia, pois sabia que a impunidade era o lugar comum das mortes na região Na noite de 22 de dezembro de 1988, uma semana após completar 44 anos de idade, Chico Mendes foi alvejado por um tiro de escopeta no peito, na porta de sua casa, em Xapuri, Acre, enquanto saía para tomar banho (o banheiro era externo). No interior da casa, os dois guarda costas responsáveis por cuidar da sua segurança, da polícia militar, jogavam dominó e fugiram correndo ao escutar o disparo. A tocaia foi armada pelo fazendeiro Darly Alves e executada por seu filho, Darcy, junto de um outro pistoleiro. A versão que se tornou oficial da morte…

Black blocs, lições do passado, desafios do futuro

Por Bruno Fiuza*
Especial para o Viomundo Uma das grandes novidades que as manifestações de junho de 2013 introduziram no panorama político brasileiro foi a dimensão e a popularidade que a tática black bloc ganhou no país. Repito: dimensão e popularidade – pois, ao contrário do que muita gente pensa, esta não foi a primeira vez que grupos se organizaram desta forma no Brasil, e muito menos no mundo. Aliás, uma das questões que mais saltam aos olhos no debate sobre os black blocs no Brasil é a impressionante falta de disposição dos críticos em se informar sobre essa tática militante que existe há mais de 30 anos. É claro que ninguém que conhecia a história da tática black bloc quando ela começou a ganhar popularidade no Brasil esperava que os setores dominantes da sociedade nacional tivessem algum conhecimento sobre o assunto. Surgida no seio de uma vertente alternativa da esquerda europeia no início da década de 1980, a tática black bloc permaneceu muito pouco conhecida fora do Velho Contin…

Ações do papa Francisco são herança de experiência jesuítica na América

Por Umberto Eco
O papa Francisco é um jesuíta que assumiu um nome franciscano e é a favor de se hospedar em hotéis simples, em vez de acomodações mais luxuosas. Tudo o que resta para ele é vestir um par de sandálias e um hábito de monge, expulsar do templo os cardeais que andam de Mercedes e voltar à ilha siciliana de Lampedusa para defender os direitos dos imigrantes africanos detidos lá. Às vezes, parece que Francisco é a única pessoa restante que diz e faz "coisas de esquerda". Mas ele também é criticado por não ser esquerdista o suficiente: por não se manifestar publicamente contra a junta militar na Argentina nos anos 70; não apoiar a teologia da libertação, que visa ajudar os pobres e oprimidos; e não fazer pronunciamentos definitivos sobre o aborto ou pesquisa de célula-tronco. Logo, qual é exatamente a posição do papa Francisco? Primeiro, eu acho errado considerá-lo um jesuíta argentino; talvez seria melhor pensarmos nele mais com um jesuíta paraguaio. Afinal, parece qu…